Lendas Urbanas

Home

Area Secreta
Oque são lendas urbanas?
Guerreiros Fantasmas da Colina Cadbury
A Bruxa de Gwrach-y-rhibyn
Artistas e Seus Pactos
Mulher de Branco
Bill Gates
Bill Gates - ZUEIRA
Boneca da Xuxa
O caso do Rim
Bruxas
Fantasma da indonésia
A Gangue do Palhaço
Abraço
Morte de Kurt Cobain
Courtney Love Mandante do Crime?
Foto da Carta de suícidio,Tradução da Carta
Frango
Papai Noel
O Carro Riscado
A Mata da Noiva
Arranhões na Janela
A Loira do Taxi
A Hora da Morte
O Casamento Amaldiçoado
A lenda do sinal de farol
O boneco do Fofão
Os gritos do inferno
Espelhos
A copa de 1998
Leis de Murphy
Vocabulário
Futebol de Rua
e-mail-me
A copa de 1998

Talvez isso explique a razão do Jogador Leonardo ter declarado o seguinte:


"-Se as pessoas soubessem o que aconteceu na Copa do Mundo, ficariam enojadas".

Todos os brasileiros ficaram chocados e tristes por terem perdido a Copa do Mundo de futebol, na França. Não deveriam. O que está exposto abaixo é a notícia em primeira mão que está sendo investigada por rádios e jornais de todo o Brasil e alguns estrangeiros, mais especificamente Wall Street Journal of Americas e o Gazzeta delo Sport e deve sair na mídia em breve, assim que as provas forem colhidas e confirmarem os fatos.

Fato comprovado: o Brasil VENDEU a copa do mundo para a FIFA. Os motivos: O Brasil sediará JÁ A PRÓXIMA COPA, DE 2002.

A FIFA e a International Board deverão declarar, nos próximos meses, problemas com segurança envolvendo a Coréia do Norte e a Coréia do Sul. A copa de 2006 será, pelos planos, compartilhada então pelo Japão e a Austrália, em conjunto. Os jogadores titulares brasileiros foram avisados, às 13:00 do dia 12 de Julho (dia do jogo final), em uma reunião envolvendo o Sr. Ricardo Teixeira (na única vez em que o presidente da CBF compareceu a uma preleção da seleção), o Técnico Mário Zagallo, o Sr. Américo Faria, supervisor da seleção, e o Sr. Ronald Rhovald, representante da patrocinadora Nike. Os jogadores reservas permaneceram em isolamento, em seus quartos ou no lobby do hotel. A princípio muito contrariados, os jogadores se recusaram a trocar o penta-campeonato mundial por sediar a Copa do Mundo. A aceitação veio através do pagamento total dos prêmios, US$ 170.000,00 para cada jogador, mais um bônus de US$ 400.000,00 para todos os jogadores e integrantes da comissão, num total de US$ 23.000.000,00 (vinte e três milhões de dólares) através da empresa Nike. Além disso, os jogadores que aceitarem o contrato com a empresa Nike nos próximos 4 anos terão as mesmas bases de prêmios que os jogadores de elite da empresa, como o próprio Ronaldo, Raul da Espanha, Batistuta da Argentina e Roberto Carlos, também do Brasil. Mesmo assim, Ronaldo se recusou a jogar, o que obrigou o técnico Zagallo a escalar o jogador Edmundo, dizendo que Ronaldo estava com problemas no joelho esquerdo (em primeira notícia divulgada às 13:30 no centro de imprensa) e, logo depois, às 14:15, alterando o prognóstico para problemas estomacais. A sua situação só foi resolvida após o representante da Nike ameaçar retirar seu patrocínio vitalício ao jogador, avaliado em mais de US$ 90.000.000,00 (noventa milhões de dólares) ao longo da sua carreira. Assim, combinou-se que o Brasil seria derrotado durante o "Golden Goal" (prorrogação com morte súbita), porém a apatia que se abateu sobre os jogadores titulares fez com que a França, que absolutamente não participou desta negociação, marcasse, em duas falhas simples do time brasileiro, os primeiros gols.

O Sr. Joseph Blatter, novo presidente da FIFA, cidadão franco-suíço, aplaudiu a colaboração da equipe brasileira, uma vez que o campeonato mundial trouxe equilíbrio à França num momento das mais altas taxas de desemprego jamais registradas naquele país, que serão agravadas pela recente introdução do euro(moeda única européia) e o mercado comum europeu (ECC). Garantiu, também, ao Sr. Ricardo Teixeira, através de seu tio, João Havelange, que o Brasil terá seu caminho facilitado para o penta-campeonato de 2002.


Essa lenda circulou poucos meses depois que o Brasil perdeu a copa para a França, muito bem elaborada essa lenda repercutiu entre os meios de comunicação. Lendo-a com um pouco de atenção podemos perceber que essa lenda conta com pontos a favor mas muito mais pontos contra. Primeiramente ficou claro que a derrota do Brasil não foi puramente falta de técnica, percebeu-se uma apatia nos jogadores e um nervosismo e que os reservas que entraram, em especial o Edmundo, entraram com uma garra inigualável isso já levantou suspeitas, depois os jogadores como o próprio Leonardo, o Roberto Carlos, o Bebeto deram declarações muito suspeitas, do tipo um dia vocês saberão toda a verdade, o criador da lenda soube expressar como ninguém esses fatos, que com o decorrer do tempo os fatos se mostrariam favoráveis, pois o Ronaldo teve convulsões e estava com o joelho machucado e mesmo assim jogou, é óbvio que isso foi imposição da Nike, pois num jogo amistoso contra a Austrália que o Ronaldo não jogou, custou a CBF uma multa de 2,5 milhões de dólares, já imaginou para quanto essa cifra subiria em se tratando de uma final de copa do mundo. Outro fato é o do Leonardo Ter abandonado a seleção, tudo isso confirmaria essa lenda se o autor não tivesse violado as regras. Primeiro de tudo ele citou meios de comunicação pública, um ardil utilizado para causar impacto e instigar os jornais citados a realmente pesquisar o fato, simplesmente esses meios vêm à público e declaram que é mentira. Depois ele falou em previsões, como a de que Brasil vai sediar a copa de 2002 e que a notícia viria a público em poucos meses, isso torna a lenda revogável nesses poucos meses, pois é claro que isso não acontecerá e ainda disse que a razão disso seria problemas de segurança na Coréia, bem, se a Coréia não é segura o Brasil é menos ainda. Para finalizar essa história poderia Ter ficado muito melhor e Ter ganhado muito mais repercussão se não fosse alguns erros característicos da falta de experiência do autor.